PROPOSTAS DAS CHAPAS ELEITORAIS

As propostas das chapas serão publicadas em breve.  

 
CHAPA 1
UNIÃO PELA DEFESA PROFISSIONAL
PROPOSTA
Desde que assumimos a representação dos médicos mineiros frente ao Conselho Federal de Medicina (CFM), nossos conselheiros têm trabalhado com afinco na defesa dos interesses e dos direitos dos nossos profissionais, assim como da sociedade. Para a gestão 2020-2025, nossa intenção é ratificar e aumentar os serviços prestados até então, além de desenvolver novos projetos, ouvindo os médicos e defendendo novas bandeiras, conforme o contexto atual.

Buscamos uma integração de todas as representações médicas, pois acreditamos que o trabalho conjunto de todos nós é o caminho correto para avançarmos e trabalharmos os desafios que hoje são impostos aos médicos e à medicina.

1 - Carreira de Estado
Participação efetiva na defesa da carreira de estado a nível do Congresso Nacional (PEC nº 454/09) quanto do Executivo, tal qual o compromisso assumido pelo Presidente da República durante audiência do Conselho Federal de Medicina (CFM) para tratar do tema.
2 - Revalida
Defender o Revalida como a única forma de acesso à atividade médica no Brasil por médicos formados no exterior, sejam eles estrangeiros ou brasileiros. Conforme tratativas do CFM junto ao MEC, o Revalida deve ser coordenado e supervisionado pelo CFM.
3 - Defesa do ato médico
Continuar atuando por meio da comissão jurídica de defesa do ato médico, composta por representantes do CFM, dos CRMs, da AMB e de sociedades de especialidades, na definição de estratégias exitosas para barrar na Justiça medidas contrárias o Ato Médico.
4 - Moratória da abertura de escolas médicas
Defender com firmeza a manutenção da moratória das escolas médicas do país e aumento de vagas, conforme a Portaria do Ministério da Educação 328/2018. 
5 - Saeme
Pela qualidade do ensino médico, manter o Saeme (Sistema de Acreditação de Escolas Médicas), um instrumento de avaliação de cursos de medicina capitaneados pelo CFM e Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM), que se propõe a certificar a qualidade das escolas médicas brasileiras. 
6 - Formação Médica - Exames de Avaliação para o Exercício Profissional
Conforme aprovado no último Encontro Nacional das Entidades Médicas, em 2018, apoiamos a realização de um Exame Nacional de Proficiência em Medicina, por meio da avaliação seriada coordenada pelo CFM, tal qual estava na proposta discutida do Senado Federal. 
7 - Residência Médica
Como integrantes da Comissão Nacional de Residência Médica continuaremos defendo a sua completa autonomia e a ampliação de novas vagas de residência médica. 
8 - Remuneração
Pela revisão da tabela SUS e implementação efetiva da tabela CBHPM, que proporcionarão junto com condições adequadas de trabalho um apropriado exercício da medicina e favorecendo melhores condições de acesso à saúde e qualidade de vida individual e coletiva dos médicos.
9 - Educação Continuada
Implementação do Programa de Educação Continuada, nos moldes do CRM-MG, em parceira com as Sociedades de Especialidades. 
 
CHAPA 3
ALIANÇA MÉDICA - PARA MUDAR DE VERDADE
 NOSSAS PROPOSTAS

 Nossas propostas se resumem em três eixos estratégicos principais estão compostas de 22 ações específicas. Os três eixos são:

  1. Maior aproximação entre o CFM e os médicos, assegurando maior representatividade pelo diálogo direto.
  2. Defesa do médico como pessoa, da carreira e de suas prerrogativas profissionais.
  3. Austeridade financeira no Conselho, congelando anuidades e revertendo a arrecadação para os interesses e anseios da categoria.

Para conhecer o detalhamento das propostas e participar do desenvolvimento de novas ações, junte-se a nós e siga-nos nas nossas mídias sociais! Siga-nos, converse com a gente.

Para nos encontrar no Facebook e Instagram, basta digitar na busca: @aliancamedicamg

 


 
 
CHAPA 4
EXPERIÊNCIA E RENOVAÇÃO

1 Defesa intransigente do Ato Médico.

2 Defesa da manutenção da Moratória do Ministério da Educação que prevê a suspensão dos editais para a abertura de novas faculdades e de aumento de vagas em faculdades já em funcionamento.

3 Revisão do orçamento do Conselho Federal de Medicina, com o intuito de possíveis reduções de anuidades das pessoas físicas e jurídicas.

4 Valorização do trabalho médico com a participação do CFM na aprovação do piso salarial defendido pelas Entidades Médicas em tramitação no Congresso Nacional.

5 Fiscalização efetiva contra o exercício ilegal da profissão, resguardando o Ato Médico.

6 Criação de novos canais de comunicação e modernização dos já existentes.

7 Revisão das políticas de marketing médico.

8 Promoção de ações de valorização do médico perante a mídia e a sociedade.

9 Aproximação entre as entidades médicas representativas, com intuito de formar novas parcerias para alcance de resultados satisfatórios no exercício profissional.

10 Fiscalização intensa nas condições de trabalho do médico, nos serviços públicos e privados, em defesa da saúde da população e do trabalho digno do médico.

11 Reativação do movimento em defesa dos honorários médicos na Saúde Suplementar.

12 Discussão, com toda a categoria, sobre telemedicina (resolução arbitrária do Conselho Federal de Medicina), tele consultoria entre médicos, videoconferências, uso de meios de comunicação que possam otimizar o trabalho e a comunicação com os pacientes.

13 Pela implantação da verdadeira carreira de Estado do médico no SUS, semelhante à existente no Judiciário, garantindo condições de trabalho e remuneração compatível com a responsabilidade do médico.

14 Por mais investimento para a saúde pública, com a destinação de 10% da receita bruta da União para o SUS, além do já previsto em lei para estados e municípios.

15 Política pública de interiorização sustentável de médicos e demais profissionais de Saúde e ocupação organizada e responsável dos postos de trabalho, no interior e nas periferias.

16 Pela revalidação obrigatória de diplomas para todos os médicos formados dora do Brasil, mediante exame de qualificação profissional (Revalida) e competência linguística, participantes do programa “Mais Médicos”.

17 Lutar para que o SUS ofereça atualização profissional periódica e gratuita aos médicos.

18 Exigir maior segurança para o médico nos postos de trabalho, em especial a mulher médica.

19 Pelo fim das interferências indevidas e antiéticas na autonomia do médico por parte dos Planos de Saúde.

20 Pela regularização do direito ao Simples Nacional a todos os médicos, com a consequente redução da carga tributária.

21 Ampliação das vagas de residência médica, com qualidade, assegurando vagas e bolsas para todos os que se formam.

22 Reajuste das bolsas de residência médica de acordo com o reivindicado pela Associação Nacional de Médicos Residentes.